Olá, tudo bem?

Você já deve ter escutado em algum lugar sobre o Pantone. Mas você sabe o que é? Hoje iremos falar um pouco sobre o que é e quando devemos usá-lo.

A Pantone Inc. é uma empresa americana muito conhecida na área gráfica e, desde 2007, pertence à X-Rite, outra gigante americana que produz diversos insumos e equipamentos gráficos. Atualmente, ela também é referência em outras áreas, como na têxtil/moda e também muito utilizada por profissionais da área de decoração, como arquitetos e designers de interiores.

Mas afinal, o que a Pantone produz?

Mais do que produzir tintas especiais, que inicialmente era o objetivo da empresa, hoje a Pantone cria tendências entre as áreas que citamos acima. Para 2018, por exemplo, a cor do ano é o Ultra Violet.

A Pantone possui diversos catálogos de tinta, que são atualizados de tempos em tempos. Cada tipo de catálogo tem uma função específica para a área gráfica. Os mais comuns e utilizados são os catálogos de cores sólidas COATED para papeis revestidos como o Couché e o UNCOATED para papeis não revestidos, como o Offset. Além disso, há também os catálogos com as paletas PASTEL, NEON e METALLICS. Para as outras áreas, a Pantone possui catálogos específicos para cada uma delas.

Com o catálogo de tintas em mãos ou mesmo na tela do computador, em programas como o Corel Draw, InDesign e Illustrator é possível visualizar e escolher a cor que um documento será impresso.

Como vimos no texto passado, a impressão de um material padrão ocorre sempre no CMYK, mas em alguns casos especiais, substituímos o CMYK pelo Pantone ou apenas incluímos cores Pantone no projeto.

Você deve estar se perguntando: OK, mas quando eu sei que é necessário substituir o CMYK pelo Pantone? — Simples! O CMYK trabalha com quatro canais de cores. Suponha que você possui um documento em que todo o conteúdo está num azul composto de 100% de Ciano, 60% de Magenta, 10% de Amarelo e 50% de Preto. Isso significa que você terá de pagar por uma impressão quatro cores. Neste caso, a cor Pantone entra para tornar este azul em uma única cor, assim, o custo do material pode ser barateado, pois deixa de ter quatro entradas na máquina de impressão para ter somente uma.

É comum trocar o sistema CMYK pelo Pantone para até duas cores de impressão, que anteriormente eram quatro.

Outra situação é quando o projeto precisa incluir cores especiais que o CMYK não é capaz de compor, como as cores metálicas e as cores neon. Então entra-se com o recurso da cor Pantone. O mais comum neste caso é o projeto trabalhar com cinco cores, mas é possível ainda que o projeto trabalhe com 6, 7, 8 cores ou mais.

Além da economia, utilizar uma cor Pantone confere mais qualidade ao material, pois como não há a composição do CMYK e a chance de haver variação de cores nos impressos de um mesmo lote são mínimas ou nulas.

Ficou com vontade de usar uma cor especial no seu projeto? Fale com a Gráfica Cartex! Aqui você poderá ver exemplos de cores nos catálogos e também diversas referências impressas.

Você também pode gostar