Olá, tudo bem? Hoje vamos falar sobre o modo correto de usar as cores no design gráfico.

Como usar as cores no design gráfico. Foto: Pixabay.

Como usar as cores no design gráfico. Foto: Pixabay.

Muitas vezes, os profissionais recém formados ou os que já atuam algum tempo no design digital não conseguem lidar com a questão das cores no design gráfico. E isso é completamente compreensível, afinal, o RGB deixa as cores muito mais reluzentes… quem iria querer usar cores tão opacas como o CMYK?

Mas a briga das paletas de cores não é apenas uma questão de gosto, mas sim, técnicos!

Diferentemente das impressoras caseiras, onde apertamos um botão e a impressora começa a trabalhar, trazendo o que está na tela para o papel, sem precisar se preocupar com as cores, os equipamentos de impressão gráfica profissional funciona de uma forma completamente diferente.

>> Descubra como funciona uma gráfica

Há diversos passos entre a preparação do arquivo e a impressão, de fato.  E é exatamente nesse meio tempo que o uso do tipo de cor equivocado pode por tudo a perder!

Existem alguns procedimentos onde até é possível a conversão do RGB para o CMYK. Mas o que ocorre muitas vezes é que o profissional que fez o arquivo e até mesmo o cliente final ficam na expectativa de receber um material de cores vivas, mas esse procedimento “mata” as imagens, por modificar da forma errada.

 

E como seria a forma correta?

Todas as imagens e fotografias devem ser tratadas em RGB no Photoshop e depois devem ser convertidas em CMYK neste mesmo programa.

O Photoshop é o software mais indicado para realizar o tratamento de imagens e devemos respeitar que cada programa tem a sua função específica. Temos um texto falando sobre isso.

Já no desenvolvimento do layout, o designer deve abrir o documento com a função de impressão, isso fará com que o documento já se inicie em CMYK.

É muito importante que textos e objetos estejam todos em CMYK ou Pantone (dependerá do seu objetivo).

E lembre-se sempre de usar o texto preto apenas no canal do preto (0% C, 0% M, 0% Y e 100% K). Eu sei que aquele outro preto com 100% em todas as cores fica muito mais bonito na tela, tem um contraste muito melhor e dá mais vida ao documento. Mas a impressão de um texto com o preto nas 4 cores é um desastre total! Ficará cheio de sombras e com aquela sensação de que o texto está tremido.

 

Mas e o Pantone? Quando devo usa?

Apesar de o Pantone ser uma paleta cujo destino seja impressão, ele é usado apenas em casos específicos.

Sabe essa imagem que consta no início no texto? Pois é, ela não foi escolhida de forma aleatória!

Ela ilustra muito bem a diferença do Pantone (à esquerda) para o CMYK (à direita)!

O Pantone tem a capacidade de imprimir inúmeras cores em apenas um canal. Isso significa que a tinta já chega na gráfica na pigmentação que o cliente precisa.

Já o CMYK usa da sua mistura (cada cor é impresso em um ângulo específico) para que os pontos no papel possa criar inúmeras cores diferentes.

Se o seu material possui fotos e já será impresso em quatro cores, então recomendamos que use o sistema CMYK. Mas se o seu material possui apenas uma ou duas cores, o Pantone costuma ser mais indicado.

O Pantone pode ser usado também como 5º cor (ou sexta, sétima e assim por diante) para acrescentar cores metalizadas, fluorescentes e outras que o CMYK não é capaz de reproduzir.

CMYK e Pantone não são inimigos, mas sim, aliados de uma boa impressão!

 

E você? Já sabia como usar as cores no design gráfico? Comente aqui!

WhatsApp chat