O segundo semestre chegou tão rápido, que parece nem ter dado tempo de colocar em prática as ações planejadas no final do ano anterior. Por isso mesmo, separamos aqui 7 dicas para aumentar as vendas do seu negócio!

7 dicas para aumentar as vendas. Foto: Unsplash.

7 dicas para aumentar as vendas. Foto: Unsplash.

 

1 – Apareça

Há uma famosa frase no meio publicitário que diz que “quem não é visto, não é lembrado”. Por isso, ter presença garantida não é nenhum charme ou frescura de querer aparecer, não. É preciso estar na cabeça do seu cliente para ser sempre a primeira opção, sempre que ele precisar comprar algo ou fazer uma indicação.

E se você não acredita em mim, vou fazer um teste! Responda rápido: “Fale uma marca de enxaguante bucal”.

Se você respondeu Listerine ou Colgate e a marca Cepacol, hiper famosa nos anos 80 e 90 nem passou pela sua cabeça, parabéns! Você pôde comprovar que quem é visto realmente é lembrado. E se você jogar no Google o termo “enxaguante bucal” vai perceber a quantidade de marcas que fabricam o produto, mas como não investem na divulgação, nunca são lembrados.

E isso vale para qualquer empresa, indiferente do seu tamanho ou área de atuação. Pense em coisas aleatórias, como Chinelos, Shampoo, Roupa, Biscoito, Refrigerante, Carro… e até mineradora… Tenho certeza que você vai lembrar das marcas que, com certeza, estão em evidência, seja online ou offline. Melhor ainda se estiver nos dois!

 

2 – Entenda o que o seu cliente quer

A tecnologia está derrubando muitas empresas de diversos ramos. Mas uma história clássica que eu sempre gosto de contar é o da Kodak, que era líder mundial em sua área de atuação até o final dos anos 90, mas que no começo dos anos 2000 viu todo o seu império ruir e hoje vive na rua da amargura.

E isso só aconteceu porque a empresa se negou a ver e a entender o que o seu cliente queria.

O que pouca gente sabe é que a Kodak foi uma das responsáveis por essa maravilha dos dias atuais, chamada câmera digital, pois Steven Sasson, engenheiro da empresa, foi o seu criador. E pasme, o ano era 1975.

Pois é, enquanto outras empresas aprimoravam a invenção revolucionária, a Kodak queria se manter em seu território seguro, mas isso não era o que os seus clientes queriam. Resultado: o pedido de falência em 2012, uma década depois de as câmeras digitais tomarem conta do mercado.

 

3 – Estude o seu concorrente

Os mais íntimos com a área de marketing com certeza conhece a expressão “fazer benchmarking“, ou seja, pesquisar e comparar produtos, serviços e as práticas empresariais do mercado e da concorrência.

Algumas pessoas podem achar que a prática seja anti-ética ou algo parecido, mas a verdade é que além de ser algo extremamente positivo para a empresa e para os clientes, ainda pode salvar a empresa de ações ruins (ou mesmo da falta de ações), por se achar auto-suficiente — como foi o caso da Kodak, mencionado no tópico anterior.

É importante salientar que ter informações sobre o mercado e a concorrência não significa que é preciso fazer tudo o que eles estão fazendo, da forma como estão fazendo. Mas sim, que há uma tendência que precisa ser analisada e avaliada para ver o quanto isso irá impactar em seu negócio.

 

4 – Relacione-se com o seu cliente

Ter um cliente é muito mais que pegar o dinheiro dele e entregar um produto ou serviço. O cliente é a joia mais valiosa de qualquer empresa, afinal, sem ele a empresa não tem nada!

Então, ter um bom relacionamento com ele é imprescindível!!!

Além de entregar o produto ou serviço adquirido com qualidade, o atendimento e a forma com que a empresa resolve os eventuais problemas que possam ocorrer durante a prestação do serviço e/ou da venda do produto são essenciais.

Tão essenciais, que há muitas pessoas que perdoam o defeito de um produto, mas não perdoam quando são mal atendidos.

Lembre-se que seus clientes não são empresas, são pessoas que trabalham naquela empresa! E pessoas gostam de se sentir lembradas, acolhidas e amadas.

Sempre que possível, entregue mais do que o cliente espera, chame-o pelo nome e esteja presente nos momentos importantes dele, como seu aniversário, por exemplo, enviando um cartão, um e-mail ou um telefone de felicitação.

A entrega de brindes também são ações muito eficientes. E a Gráfica Cartex tem diversos modelos para sua empresa.

 

5 – Chame atenção

Iniciamos as dicas com a importância de aparecer e ser lembrado, mas isso não é o suficiente. Chamar a atenção do seu cliente é tão importante quanto aparecer, pois quem chama a atenção está sempre um passo a frente de quem apenas aparece!

Melhor ainda quem chama a atenção de forma positiva. Embora algumas empresas são expert em chamar a atenção negativa, a meta é sempre estar em evidência da melhor forma possível e ser inspiração para outras pessoas e, porque não, para outras empresas.

Como exemplo, podemos citar a Vale, que tem chamado muita atenção negativa, pelos desastres ambientais que ocorreram recentemente. É uma empresa que não saí mais da mídia, mas por conta de todo o ocorrido, perdeu completamente o seu prestígio. E isso, se não for tratado no tempo certo, gera um efeito cascata muito grande, pois além da pressão sofrida pela comunidade e consumidores, ainda enfraquece o time de profissionais, pois os melhores irão querer pular do barco e ir para uma empresa mais estável e bem-vista.

Mas também temos um exemplo positivo, como a Natura, que busca um trabalho cada vez mais sustentável e está sempre em evidência por isso. Ou seja, além de aparecer nas mídias mostrando os seus produtos, existe um destaque para aquilo que ela não vende, mas que faz parte do processo de fabricação.

Por isso, apareça e chame a atenção!

 

6 – Tenha um portfólio

Há quem pense que portfólio seja somente usado para a área de design, mas a boa notícia é que o portfólio pode ser usado por qualquer profissional, em qualquer área!

Não importa se você é arquiteto, boleira ou dentista. O que importa é que você tenha documentado uma relação de trabalhos já realizado, normalmente, por fotografias.

Então, um dentista pode colocar em seu site alguns cases de sucesso, com fotos de antes e depois do seu tratamento. Isso é considerado um portfólio.

Uma boleira ou um arquiteto também podem organizar em fotografias suas criações e designs, que também são considerados portfólios.

Isso é importante, pois ajuda aquele potencial cliente conhecer mais o seu trabalho e perceber que sua empresa não é amadora, preza pelo profissionalismo!

Então, sempre que possível, fotografe e documente o seu trabalho, principalmente se forem situações onde são possíveis o antes e o depois, como dentistas, personal organizers, arquitetos, entre outros ramos.

 

7 – Sua identidade visual fala por você

Por último, mas não menos importante, aliás, um dos itens mais importantes que iremos citar neste post é ter um identidade visual que tenha unidade, seja de fácil identificação, seja exclusiva e que esteja alinhada com o cliente que atende.

Nestes últimos meses muitas empresas reformularam seus logotipos e identidade visual. É o caso da Decolar e da Uber, que buscaram mais simplicidade em sua comunicação e alinharam essa simplicidade em sua identidade visual.

Vale lembrar que a identidade visual de uma marca fala por si só. Ou seja, quando alguém vê um material bem elaborado e em unidade com os demais materiais da empresa, inconscientemente ela repara na organização da empresa e na capacidade de entregar aquilo que ela oferece.

Mas quando a identidade da empresa é uma verdadeira bagunça, então o seu inconsciente emite um alerta de que talvez aquela não seja a melhor empresa para lhe entregar o que está sendo ofertado. Afinal, ela não conseguiu nem organizar o próprio material, que dirá irá produzir o que oferta com capricho, organização e cuidado.

 

E você? Gostou das nossas dicas para aumentar as vendas? Comente aqui!

 

WhatsApp chat